20 outubro 2009

Fila para transplante de córnea é quase zero

O tempo de espera para realização de transplante de córnea no Estado de São Paulo despencou 90,2% nos últimos dois anos. É o que aponta levantamento realizado pela Secretaria da Saúde, com base nos dados da Central Estadual de Transplantes, divulgado na semana passada.

As pessoas transplantadas em agosto deste ano aguardaram, em média, 20 dias para fazer a cirurgia. No mesmo período de 2007, o tempo foi de 204 dias (ou quase sete meses). Já os transplantados em agosto de 2008 aguardaram, em média, 123 dias para realizar a operação.
Ainda quando era ministro da Saúde do então presidente Fernando Henrique Cardoso, José Serra ampliou os recursos para a área de transplantes no País. Agora, o governador está expandindo o setor em São Paulo. Entre 1997 e 2001, dobrou o número de transplantes por ano no Estado e o Brasil passou a ser o segundo país do mundo em transplantes.
O tempo varia conforme a região do Estado onde o paciente está inscrito. Na capital, região metropolitana e litoral, os transplantados em agosto deste ano aguardaram em média 12 dias para fazer a cirurgia. Na região de Campinas e Sorocaba, 9 dias. Já na área de Ribeirão Preto e São José do Rio Preto foram 21 dias de espera, enquanto na região de Marília e Botucatu a espera foi de 40 dias.
Há dois anos, a fila era de 5,2 meses na capital, Grande São Paulo e litoral. O tempo de espera era de 3,3 meses na região de Sorocaba e Campinas; 1,3 mês na área de Ribeirão Preto e Rio Preto e de 11,3 meses nas regiões de Marília e Botucatu.
"Esse resultado é fruto do esforço dos Bancos de Olhos em aprimorar a captação de córneas em todo o Estado. Atualmente o número de pacientes inscritos na lista de espera é praticamente igual ao total de córneas captadas e distribuídas para transplante. Regra geral, não há mais fila", afirma Luiz Augusto Pereira, coordenador da Central de Transplantes da Secretaria.
De janeiro a agosto deste ano foram realizados 3.995 transplantes de córnea no Estado, contra 4.125 no mesmo período do ano passado. O número é menor porque o total de pessoas que aguardam por um transplante vem diminuindo progressivamente. Atualmente a fila de pacientes ativos (aqueles considerados aptos a realizar a cirurgia) é de apenas 39 pessoas.

(Redação - Agência IN)

Não seria maravilhoso se em todo país fosse assim?

Um comentário:

mayklinkinpark disse...

sim , todo estado do brasil deveria ter mais ou menos a metade da capacidade do bos de sorocaba pois tem muitas pessoas que tem . que vim de muito longe para ter que fazer um trasplante de cornea