29 setembro 2009

Visão de recém-nascido (e isso não é uma boa notícia)

Procurando sobre a minha acuidade visual a pouco no Google, encontrei essa entrevista do Dr. Dráuzio Varella com a Coordenadora da Associação Brasileira de Assistência ao Deficiente Visual.
Nesta entrevista, duas respostas me chamaram a atenção:
1ª - É importante lembrar que a criança não nasce com a visão desenvolvida. Pode-se dizer que o recém-nascido enxerga trinta vezes menos do que o adulto com visão normal. Embora nasça com o olho totalmente formado, a função visual só se completa no fim da primeira década de vida, entre os oito e os dez anos. No entanto, o primeiro ano é de primordial importância para o bom desenvolvimento da visão.
2ª - Quem não tem nenhum problema de visão enxerga um valor de 20/20 (vinte sobre vinte) numa escala de fração que mede a acuidade visual. Ao nascer, a criança enxerga um valor 20/600, ou seja, trinta vezes menos. Portanto, ela vê vultos. A visão das cores e a sensibilidade ao contraste não estão totalmente desenvolvidas. Para ela, é mais fácil fixar um objeto de alto contraste, preto e branco, por exemplo, e interessar-se mais pelas bordas do que pelo conteúdo do objeto. À medida que a função visual vai se desenvolvendo, a criança passa a interessar-se por objetos de baixo contraste, por seu conteúdo, e consegue definir melhor as cores.
.
Isso porque hoje, o dr. Jorge, durante nossa conversa sobre um outro caso, citou exatamente a visão do recém-nascido.
Ao medir a minha acuidade visual sem correção do OE (transplantado), viu-se que estou com 20/600. Visão de bebê com 1 mês. Me senti parte do filme "O Curioso Caso de Benjamin Button".
Não há muita esperança que melhore. Já sabíamos, eu e o meu médico, que o segundo transplante seria uma tentativa de consertar a visão.
Se o DSAEK deixou sequelas é difícil afirmar. Se tivesse feito o transplante penetrante ao invés do lamelar estaria diferente agora?
Não sei.
O importante é que isso não me afeta mais como me afetaria dois anos atrás.
O aprendizado não terminou...

4 comentários:

Antonio C disse...

Alô, Alice, esta mensagem é para te mandar um lindo beijo e te dizer que não me esqueci de você.Continuo acompanhando a sua luta, Siga em frente com muita fé. Beijos, Antonio Carlos

Poquiviqui disse...

Eu ja tinha lido a respeito sobre a visao dos recem nascidos. Mas engracado que mesmo com menor capacidade, eles conseguem distinguir rostos, mesmo de longe. Li que isso eh uma capacidade inata especifica, reconhecer faces, e isso explicaria porque temos a tendencia de identificar rostos em figuras, as vezes abstratas!

Fiquei interessado no teu blog! Eh dificil encontrar bom conteudo, e especifo. O assunto me chamou muito atencao, e tua historia tbm. Vou ler outros posts!!

Gostaria tbm de propor uma parceria, para eu colocar um link deste blog no meu.

Leandro Costa Vaz (Pudim) disse...

Muito legal o blog!... percebi que ele foi feito a partir de um sentimento de gratidão voltado para uma responsabilidade social de concientização!!

parabéns!!

Sucesso!

[Pulga] Anderson Ferreira disse...

Acredito que os bebes ainda formam sua mente. seu cerebro apos nascer. Enfim, então temos que cuidar da vista desde cedo.

Consciencia...Temos que levar isto para os outros.