25 setembro 2009

Lasik sem dobras e sem estrias

O oftalmologista Canrobert Oliveira, do Hospital Oftalmológico de Brasília (HOB), apresentou no dia 28 de agosto, no 35º Congresso Brasileiro de Oftalmologia, o Soprador Térmico de Córnea. Trata-se de equipamento que o médico vem desenvolvendo e aprimorando, desde 1995, para evitar e corrigir a formação de dobras e estrias que podem ocorrer durante a cirurgia de correção de grau por Lasik.

Mais de 10 anos de observação, análise e estudos científicos para evitar e corrigir a formação de dobras e estrias, que podem ocorrer na córnea durante a cirurgia de correção de grau por Lasik, resultaram em uma caixinha metálica com a capacidade de deixar lisa a superfície do olho onde houve a intervenção. "A córnea parece uma pele de jaboticaba de tão lisa", comemora o criador do Soprador Térmico de Córnea, o oftalmologista Canrobert Oliveira, relacionando a fruta brasileira à invenção nacional que traz benefícios a todas as pessoas que querem se ver livres dos óculos por correção cirúrgica.

Canrobert Oliveira, que é diretor do departamento de cirurgia refrativa do Hospital Oftalmológico de Brasília (HOB), vai apresentar sua criação hoje, durante o 35º Congresso Brasileiro de Oftalmologia, que acontece em Belo Horizonte (MG) no Expominas.

Contribuição - Desde 1995, o oftalmologista brasiliense, que já realizou mais de 60 mil cirurgias refrativas, vem estruturando o Soprador Térmico de Córnea. Esta não é a primeira colaboração de Canrobert à evolução da oftalmologia. A partir da observação do processo cirúrgico criou, nos anos 90, o C-Procedure, atualmente adotado por cirurgiões de vários países para tratamento de astigmatismos altos e irregulares.

Reação - De acordo com Canrobert, o colágeno, tecido que compõe a córnea, tem propriedades físico-químicas que reagem favoravelmente ao Soprador Térmico. Depois de dois anos de utilização, ele diz que os resultados da aplicação do procedimento estão consolidados e aprovados inclusive pelos pacientes.
"O Soprador promove a contração das fibras de colágeno do disco corneano na cirurgia de Lasik para correção de grau, impedindo a formação de estrias e corrigindo aqueles casos que, no passado, já mostraram dobras e estrias", explica Canrobert. O médico relata que estrias ocorrem involuntariamente durante a cirurgia e o Soprador Térmico interfere no processo e as elimina. Já as dobras, muitas vezes, aparecem em consequência de traumas como coçar e apertar o olho operado, apesar das advertências feitas aos pacientes após a correção.
.

Um comentário:

rossana disse...

fiz, um transplante de cornea ha 2 anos na ultima consulta o medico me disse que teria que fazer uma sutura pois o grau do astigmatismo esta muito alto ...ah, fiz o transplante pois tenho ceratocone ambos os olhos depois da sutura , ficou como um nevoieiro..... mandou fazertum exame orbscam da cornea .. queria saber realmente o que esta ocorrendo e souber por favor me informe pu conhecer algum caso semelhante