14 novembro 2008

Depoimento de Maria das Graças de Souza Garcia


Sou de uma cidade do sul de Minas chamada Pouso Alegre. Tenho 43 anos, sou casada há 18 anos e sou advogada e mãe de uma filha linda de 16 anos. (mãe coruja).
Descobri que tenho Distrofia de Fuchs há pouco mais de três anos. Naquela época, aqui na minha cidade, ainda não tinha transplante de córnea.
Passei por vários médicos, sem conseguir descobrir o que realmente tinha. Alguns me diziam que era somente catarata, mas como de manhã eu tinha um embaçamento muito forte nos olhos e depois passava, fiquei desconfiada que tinha mais alguma coisa.
Descobri através de um médico amigo, que tinha um médico especialista em córnea aqui mesmo na cidade. Fui até esse "anjo" e ele primeiro me pediu uma microscopia da córnea, que tive que fazer em Belo Horizonte, já que aqui não tem esse tipo de exame. Quando retornei com o exame ele confirmou o que eu tinha. De lá para cá, meu olho direito foi piorando, até que decidimos fazer primeiro a cirurgia de catarata para depois entrar na fila do transplante, pois no olho direito a doença ainda está estacionada.
No dia 01 de outubro fiz a cirurgia de catarata, que correu perfeitamente, mas ela acelerou a doença, o que é normal, e no dia 20 de outubro fui para a fila de transplante. Será feito aqui mesmo, com o meu médico, que inclusive fez especialização no Hospital de Sorocaba.
Estou ansiosa para que chegue logo a minha vez, mas não estou com medo. Meu médico foi um "anjo" que entrou na minha vida e que está me ajudando muito a superar meus medos e receios. Ele acabou se tornando um grande amigo, que me escuta e me tranqüiliza em relação a todo o procedimento do transplante.
A minha doença me fez enxergar o mundo de uma forma diferente.
Hoje dou valor às pequenas coisas que antes, devido ao dia a dia corrido que tenho, eu não enxergava.
Dentre eles o lindo sorriso que minha filha de 16 anos tem e que antes eu não contemplava. O seu belo rosto, que me diz: "Mãe eu estou aqui e te amo muito".
Além dela, tenho um marido maravilhoso, que me ajuda em tudo.
Do que posso reclamar?
Vamos ao Transplante!
.
Graça
Como é importante chegar a essa compreensão da vida. É isso mesmo. Valorizar o que antes não valorizávamos. Aceitar o que nos foi designado e fazer disso uma forma de ajudar ao próximo. Que venha o transplante!

5 comentários:

Dona disse...

Doação é um ato de amor!!

PanPum disse...

Caramba .-.
muito bom, eu nunca pensei nisso ><

aiiin to me sentindo uma egoista por nao me valorizar ><


aiiin.

RJ disse...

Graça, que bom que vc tem uma familia que te apoia e tenha fé em Deus que tudo vai dar certo...

realmente concordo com voc~e quando diz que não aproveitamos de fato as pequnas coisas da vida, não sabemos dar os valores merecidos, simplesmente pq podemos falar, andar e até ver...

abraços!! e boa sorte no transplante!

nerdsedentario disse...

Eita, bela história.
Realmente uma lição de vida.

Gran Magic Carmesin: Nat Valarini disse...

Boa noite!

Que iniciativa bonita a sua de falar sobre uma assunto tão importante e ao mesmo tempo, delicado!

ESpero que dê tudo certo para você e que ainda possa enxergar os lindos sorrisos de sua família.

Bjoks!



http://garotapendurada.blogspot.com/