14 junho 2008

São raros os transplantados que sabem de quem era o órgão doado. O que importa é saber que existem pessoas que, mesmo no sofrimento, pensam no próximo. Que deixam a dor de lado por alguns momentos para pensar em pessoas desconhecidas que lutam para viver.
Não importa saber se era de uma criança, de uma pessoa idosa ou de um ladrão... seja de quem for devemos agradecer sempre por estarmos vendo o mundo com novas cores.
Mesmo que o meu não tenha dado o resultado esperado quanto à acuidade visual, eu não tenho mais a Distrofia no OE. Não tenho mais dores horríveis.
Vou refazer o transplante porque fiquei com visão subnormal e a dificuldade para ler e ver detalhes é enorme.
Será uma nova experiência já que no meu primeiro transplante fiz o Lamelar, isto é, retirei apenas a parte doente da córnea. Não levei pontos ao redor da córnea, apenas 2 pontos na incisão.
Agora farei o Penetrante. Trocarei a córnea por outra na sua totalidade. E esse requer muito mais cuidado.

2 comentários:

Rosimeire disse...

seu blog ficou maravilhoso, sempre estou visitando para ficar bem informada, muitas vezes entro em pânico. minha filha teve uma recaída quanto a depressao, desde que tirou alguns pontos e a visao diminuiu muito.está tratando com corticoide,mas alguns vasinhos insistem em permanecer. entao ela deu uma desanimada, e consequentemente voltou a depressao.acho importantissimo isto que voce está fazendo por nós, e uma bençao de deus. beijos.

Anônimo disse...

olá Alice, já estais no pais das maravilhas dividindo teu ohar com outro ser. Sou também uma mulher de 38 anos, mãe, casada e com tripla jornada, professora, enfermeira em Araguaína Tocantins. Digo que sou malabarista. Tenho a mesma patologia, descobri em 2004. Fui até Sorocaba agora em julho. Por enquanto só estou acompanhando e sendo acompanhada a estabilidade em que as minhas janelas da alma mantêm, claro que com vários sintomas(edema há mais de três anos). Sou feliz em muitos momentos,não me deprimo em cada vez que realizo um exame e descubro as diferenças que possuo.Agora entendo o motivo para qual existimos. Parabéns pelo seu blog. Espero manter contato. Como eu sempre brinco com quem pergunta sobre a patologia e demonstra sinais de dó. A minha vez chegará e eu quero dividir os meus olhos com uma pessoa linda de alma e coração.

Um abraço,

Ruth Diniz

rdinizbraga@hotmail.com