26 junho 2008

Depoimento de Ângela Barletta

Minha mãe fez um dos primeiros transplantes de córnea aqui no Brasil, mais ou menos em 1974. Adquiriu um glaucoma irreversível vindo a perder a visão totalmente do olho direito e tendo que colocar uma prótese. Adquiriu, assim, também o medo de fazer a operação no olho esquerdo. Uma catarata em alto grau deixou-lhe com apenas 5 % de visão.
Além do sofrimento que, nós os filhos, sentimos que ela passava, ficou também o desgaste familiar por ela precisar de ajuda para sempre. Eu e meu irmão herdamos o tal CERATOCONE e eu tive ainda Catarata nas duas vistas no grau 4 (que é o mais elevado).
Inscrevi-me no BOS em março de 2007 e fui chamada para o primeiro transplante em 31 de agosto de 2007. Oh glória!!! Com 55 anos já não andava mais sozinha, dando trabalho a meus filhos e marido e só sente o mal de verdade quem o tem.
Mesmo acompanhada caí várias vezes por não ver o calçamento. Sou professora de dança e mesmo sem ver com perfeição meus alunos dei aula até operar. Pessoas cegas têm o resto do corpo em perfeito estado, mas não podem fazer as outras acreditarem que o coração e a alma vêm...
Com o histórico de Judith (ah! Minha mãe chamava-se Judith rsrs) o medo se instalou na família. Só que Ângela quando quer vai à luta!
E consegue!
Fiz o primeiro transplante com sucesso absoluto. Já não tenho mais nenhum pontinho e praticamente já serei chamada para fazer o olho esquerdo, pois sou hoje o número 125 na lista de chamada. Acho que quando você acredita em DEUS e na generosidade do ser humano, TUDO dá certo em sua vida. Hoje vejo até o que não precisava mais ver!
Gostaria de iniciar uma campanha para que córneas não precisassem de autorização para serem retiradas, já que não mutilam o cadáver e não gera sangue ao serem retiradas. Sei que é um assunto polêmico, mas não enxergar é não ver cores, nem formas. É precisar dos outros sendo criança ou idoso.
Você que pode me ler conseguiria imaginar se não o pudesse? Pois é ...
Hoje sou agradecida ETERNAMENTE aos médicos, ao BOS, a quem me ajudou antes, a quem fez doação ainda em vida (isto é fantástico) e ao médico dos médicos: DEUS maravilhoso que colocou formas, cores e beleza em tudo, para que todos nós, que somos filhos pudéssemos VER!!!
Obrigada amiga Alice, até te conhecer graças às córneas eu conheci. E coragem e fé a quem precisa.
Vá!!
Lute!!!
VOCÊ POOOODE!!!!!!

Ângela Barletta

Ângela, eu não poderia ter passado nesta vida sem te conhecer. Algumas coisas já vêm escritas. Tua amizade é uma delas.
Que a tua força, otimismo e alto astral te acompanhem sempre.
Leva adiante a tua Campanha! E que o teu próximo transplante também seja perfeito.

7 comentários:

Maya disse...

Gostei da iniciativa. Admito que conheço pouco sobre transplantes, embora seja doadora de órgãos ainda sem o cartão. Mas vou ver o procedimento e fazer o meu.
Boa sorte na sua luta. Vai dar tudo certo.



www.cadernoinsone.blogspot.com
www.aprincesaeocanalha.blogspot.com
www.acasadoposte.blogspot.com

Parmitaum disse...

NOSSA... QU ELIÇÃO DE CORAGEM E ATITUDE.
FAZER ESTA CIRURGIA DEPOIS DO OCORRIDO É SINAL DE MUITA CORAGEM... E QU EVENHA A PROXIMA CIRURGIA QUE VAI DAR TD CERTO SIM!!
PARABÉNS PELA GARRA...

Cássia Barbosa disse...

Que linda a história dela...
Passa lá no meu blog depois.
Bjos!

http://www.porta-joias.blogspot.com/

Une Petite Femme disse...

eu fico indignada com as pessoas que não doam seus órgãos. deviamos todos ser consciêntes de que cedo ou tarde, vamos morrer e nosso corpo ou virará cinzas ou apodrecerá. então por que não usar o que ainda serve para ajudar quem está vivo? já falei aqui em casa, quando eu morrer, o que prestar podem levar pra quem precisa.

bjs

Cássia Barbosa disse...

Obrigada pela visita ao meu blog... Volte sempre!
Bjos!

Une Petite Femme disse...

não só fiz o cartão, como também mandei e-mail para amigos divulgando e coloquei o link em destaque lá no blog.
valeu pela dica, assim fica registrado mesmo, não só verbalmente.

bjs

Une Petite Femme disse...

nem precisa agradecer, acho que isso é uma questão de cidadania. a gente (nós brasileiros) reclama muito que o governo isso, os políticos aquilo, mas tem muita coisa que poderiamos e deveriamos fazer nós mesmos mas não fazemos, atitudes simples, como apenas divulgar serviços sociais. tem muita gente que enxerga perfeitamente mas não abre os olhos para a realidade. eu já tinha pensado em divulgar algumas instituições, como o INCA Voluntário e para a doação de medula óssea(coisa que farei assim que tiver tempo para fazer o HTML).
a sua dica me caiu como uma luva,
quem tem que agradecer aqui sou eu.
parabéns a vc pela atitude, quem nos dera o houvesse mais pessoas conscientes assim como vc.

bjs